segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Vendas de carros são crescentes


Divulgação                  De janeiro a novembro, a alta registrada é de 10,3%

Nelson Tucci

Apesar da produção de veículos no Brasil ter recuado 7,1% em novembro passado, frente a igual período do ano passado, de acordo com a Anfavea, a associação das montadoras, as vendas continuam com demanda crescente e estável, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa mais de sete mil concessionários de veículos.
No acumulado de janeiro a novembro, a alta registrada é de 10,3%, com o total de 3.665.370 veículos novos emplacados, ante 3.322.200 unidades registradas, comparativamente com o mesmo período de 2018.
Em novembro último, o volume das vendas somou 345.386 unidades, o que representou avanço de 7,8% sobre novembro de 2018, porém, porém com queda de 6% sobre outubro de 2019, em função do menor número de dias úteis (23 dias úteis em outubro, contra 20 dias úteis em novembro – sem considerar o dia 20 como feriado nacional). Segundo o Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o ritmo de crescimento das vendas, no geral, permanece como o esperado para o ano, o que deve levar ao volume estimado pela federação. "Faltando apenas um mês para o fechamento do ano, notamos a estabilidade do mercado. Isso é positivo, pois não houve grandes oscilações durante o ano, o que confirma as nossas expectativas para 2019, de que deveremos crescer 10,76% sobre 2018", comentou Assumpção Júnior.

MARKET SHARE – A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) é a líder no mercado brasileiro de automóveis e comerciais leves no acumulado do ano. De janeiro a novembro, a montadora italiana contabiliza 450.978 veículos comercializados, o equivalente a 18,7% de participação no mercado. Quando comparadas com igual período do ano anterior, as vendas da FCA cresceram 14%.
A empresa posicionou três modelos entre os 10 mais vendidos: Fiat Argo, Strada e Jeep Renegade. A propósito, o Argo, caçulinha desse trio, foi o terceiro veículo mais vendido do Brasil em novembro com 8.270 unidades (em outubro, estava na quinta posição).

RECALL – A FCA-Fiat Chrysler Automóveis Brasil informa aos proprietários dos veículos Jeep Grand Cherokee, anos/modelo 2011, 2012 e 2013 e Dodge Durango, anos/modelo 2012 e 2013, sobre a possibilidade de falha no relé da bomba de combustível, ocasionando a dificuldade de partida do motor e, em casos extremos, o desligamento inesperado do veículo em movimento. Esta última situação pode comprometer as condições de dirigibilidade do veículo, aumentando o risco de colisão, com potenciais danos materiais, físicos ou até mesmo fatais aos ocupantes do veículo ou terceiros.
A empresa diz ainda que “tão logo a solução definitiva esteja disponível”, os proprietários de todos os veículos envolvidos na campanha serão convocados para a segunda fase do chamamento, para agendamento gratuito do reparo em uma das concessionárias das redes Dodge ou Jeep. Segundo dados da Secretaria Nacional do Consumidor (órgão do Ministério da Justiça), mais de 1,6 milhão de automóveis foram afetados por campanhas de recall em 2019. Pelo mesmo demonstrativo, a Toyota foi a que mais fez recall no ano. A FCA continua entre as primeiras, historicamente.
Para consultas e demais informações, o consumidor poderá ligar para as Centrais de Serviços ao Cliente Dodge no telefone 0800 703 7140, ou Jeep, pelo 0800 703 7150 ou, ainda, consultar os websites www.dodge.com.br e www.jeep.com.br

Divulgação      Até 10 vezes mais durável do que a convencional de chumbo ácido

LÍTIO – A Heliar, marca tradicional de baterias para motocicletas, irá lançar no Brasil a Heliar Lítio, bateria de íons de lítio para veículos de duas rodas. Esta será “até 10 vezes mais durável do que a convencional de chumbo ácido, tem dois anos de garantia (a maior no mercado) e é cerca de 70% mais leve”, diz o fabricante. A marca é líder no fornecimento para as montadoras, presente em 9 de cada 10 motos produzidas no Brasil.

PRÊMIO – A Texaco Lubrificantes foi contemplada com o “Prêmio Marketing Contemporâneo”, entregue pela Associação Brasileira de Marketing & Negócios (ABMN), na categoria Diversidade Rio. A premiação aconteceu na semana que passou, no Rio de Janeiro.

SEGURO – O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado no dia 3 último, alerta para a importância da conscientização sobre igualdade de oportunidades para todos. Segundo os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,7% da população tem algum tipo de deficiência. E os números do seguro Dpvat mostram que os acidentes de trânsito envolvendo pedestres têm grande participação nestas estatísticas.
De janeiro a outubro deste ano, o seguro obrigatório indenizou mais de 68 mil pessoas que circulavam a pé no momento da ocorrência e ficaram com algum tipo de invalidez. O número representa 77% do total de pagamentos destinados a vítimas pedestres. As estatísticas do seguro Dpvat ainda mostram que os jovens são os mais atingidos.
O Dpvat é um seguro obrigatório de caráter social que protege os mais de 210 milhões de brasileiros em casos de acidentes de trânsito, sem apuração da culpa. Ele pode ser destinado a qualquer cidadão acidentado em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre, e oferece três tipos de coberturas: morte (valor de R$ 13.500), invalidez permanente (de R$ 135 a R$ 13.500) e reembolso de despesas médicas e suplementares (até R$ 2.700). A proteção é assegurada por um período de até 3 anos.

PASTILHAS – A Fras-le e a Fremax receberam, dia 28 último, em São Paulo, o “Prêmio Inova 2019”. A Fras-le, já premiada em edições anteriores, como a Melhor Pastilha de Freio, repete a performance sendo escolhida novamente na categoria Ouro.
Da mesma forma, a Fremax figura como o melhor fabricante de discos de freio.
As premiações foram promovidas pela Editora Novo Meio e os resultados são extraídos da pesquisa realizada pela Ipsos, que aponta os fabricantes de autopeças que mais se destacaram no mercado de reposição, através da lembrança e da preferência de marca.

Divulgação     Montadora busca práticas sustentáveis no processo de fabricação

PALHA – A Ford firmou parceria com o McDonald's nos Estados Unidos para aproveitar a palha de café – casca seca do grão que sobra no processo de torrefação – na fabricação de peças de automóveis. O projeto pode dar novo destino a boa parte das milhares de toneladas de palha de café que são geradas por ano, normalmente usadas como adubo ou carvão.
Através de pesquisas, a Ford e o McDonald’s descobriram que a palha de café tem propriedades capazes de reforçar certos tipos de peças, criando um material durável. Segundo a Ford, os componentes feitos com esse composto são cerca de 20% mais leves e consomem até 25% menos energia no processo de moldagem. A sua resistência ao calor também é sensivelmente melhor que a do material usado atualmente, favorecendo a aplicação em peças como carcaças de faróis e outros componentes no compartimento do motor.

CORES – Quando o assunto é cor no universo automotivo as possibilidades são inúmeras, embora algumas já tenham caído no gosto do público. De acordo com um estudo da PPG Industries, empresa de tintas e revestimentos, o branco é a tonalidade mais popular na América do Sul (36%), seguida pela prata (31%). Um dos maiores motivos para a escolha de tons neutros é o impacto no valor do carro na hora da venda.
Para entender se essa afirmativa é “mito ou verdade”, a empresa KBB Brasil, preparou estudo sobre o impacto da cor na desvalorização de um automóvel. A KBB utilizou como parâmetro o comportamento da cor branca, uma vez que foi uma das mais presentes no estudo e em mais tipos de pinturas – sólidas, metálicas e perolizadas.
Na análise, foram identificados e considerados 9 grupos de pinturas e os segmentos compactos, médios e grandes entre automóveis de passeio e utilitários, além das desvalorizações por regiões. Por exemplo, uma das mais populares entre os carros vendidos no Brasil, a cor prata não surpreende e possui a maior presença nas amostras da análise e não influencia na perda de valor de um veículo. Curiosidade: entre os veículos grandes, o marrom valoriza em 1,7% e o vermelho 1,5%; e, de outro lado, o verde e amarelo caem 3,5% e 4,4%, respectivamente.

Divulgação                   Pedro, do Projeto Oásis, é um dos vencedores

TALENTOS – Pedro Arká (projeto Oasis), Gabriel Vieira (projeto Pill), Gustavo Cardoso (projeto Auster) e Lucas N. Silva (projeto Ambience) venceram o “Talento Design 2019” e ganharam a oportunidade de estagiar por um ano no Estúdio de Design da Volkswagen em São Bernardo do Campo/SP. A 21ª edição do Talento Design teve como tema Urban Xperience – Como a mobilidade pode deixar a cidade mais inteligente?
"Este ano desafiamos os estudantes a desenvolverem projetos e tecnologias que integrem a infraestrutura da cidade, promovendo o bem-estar das pessoas, o crescimento econômico e o uso adequado e sustentável de recursos", explica o head de Design da Volkswagen para a América Latina, José Carlos Pavone.

PLANEJAMENTO – Com o objetivo de reforçar o atendimento à rede autorizada de concessionárias, a Kia Motors do Brasil nomeou José Luiz Vendramini para o cargo de diretor de Planejamento de Rede, cujas principais atribuições serão o acompanhamento do padrão visual dos pontos de venda, o treinamento da mão de obra e o processo de ampliação.
Com 37 anos de experiência no setor automotivo (inclusa uma passagem pela própria Kia Motors), Vendramini vai atuar em sintonia com o diretor de Vendas, Ary Jorge Ribeiro, em atendimento aos desafios da Kia para 2020.

Divulgação      Europa se destaca em primeiro lugar no consumo mundial

CAFÉ – O consumo mundial de café estimado para este ano de 2019 deverá atingir 167,90 milhões de sacas de 60 kg, das quais 116,88 milhões, que correspondem a 70%, deverão ser consumidas por países importadores e 51 milhões por países produtores de café, cujo montante representa 30% do consumo global.
Com base nessa estimativa, se for estabelecido um ranking das seis regiões consumidoras de café no mundo em 2019, constata-se que a Europa se destaca em primeiro lugar no consumo mundial com 54,5 milhões de sacas, volume que representa 32% do total. Em segundo lugar figura Ásia & Oceania (23%); na sequência, em terceiro, América do Norte (18%); em quarto, América do Sul (16%); em quinto, África (7%); e, por fim, América Central e México, com 5,57 milhões de sacas (3%). O Brasil é o maior produtor e exportador e segundo maior consumidor. Vale ressaltar que as exportações brasileiras de café nos 10 primeiros meses de 2019 atingiram 34 milhões de sacas, volume superior às exportações verificadas nesse mesmo período nos quatro anos anteriores.

REVISTA – Em leilão realizado na última quinta-feira, 5, a revista Exame, do Grupo Abril, foi leiloada pela Mega Leilões no valor de R$ 72,374 milhões. Os fundos arrematantes são Planner Trustee Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. e Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Não-Padronizados Alternative Assets I.
A ação faz parte de um plano de recuperação judicial da editora Abril, aprovado pelos credores em agosto deste ano, como um dos ativos de amortização da dívida do grupo, que segue acumulada a R$ 1,6 bilhão.

Nelson Tucci é editor de Veículos & Negócios, do Jornal PERSPECTIVA.
Leia também no site www.jornalperspectiva.com.br

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Educação tecnológica no Porto


Divulgação     Para evitar que carentes sejam excluídos do mercado de trabalho

Nelson Tucci

Como parte das ações de sua transformação digital, o Porto de Santos lança o projeto "Um porto para o futuro", que vai selecionar 60 estudantes, entre 10 e 18 anos, para o programa de treinamento do “Instituto Amigu”, que leva educação tecnológica a crianças e adolescentes carentes a fim de evitar que sejam excluídos do mercado de trabalho futuramente.
O projeto será custeado pelos patrocinadores do Hack Porto, uma maratona tecnológica que integra a comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegários (Abtra). Com duração de 30 horas ininterruptas, o Hack Porto acontecerá no próximo fim de semana, 7 e 8, objetivando encontrar soluções que melhorem a gestão dos planos de emergência no Porto de Santos e otimizem a análise de documentos exigidos no setor a partir das várias normas existentes.
Para se candidatar ao programa "Um porto para o futuro", as crianças e adolescentes devem ser filhos de funcionários de baixa renda das empresas associadas à Abtra. As aulas vão acontecer aos sábados, entre fevereiro e julho de 2020, nas instalações da Zero Treze Innovation Space, hub de inovação da Baixada Santista. O conteúdo do curso é composto por tecnologias exponenciais: inteligência artificial; IOT – internet das coisas; robótica; cloud computing; sistemas operacionais; e integração de APIs. Outras informações em www.portohacksantos.com.br

VITÓRIA – A transformação digital chegou aos portos: com o aumento do tráfego, ano a ano, é necessário contar com mais e mais tecnologia para continuar o transporte de forma eficaz. Com base nesta realidade, a Indra, empresa global de tecnologia e consultoria, implantou no Porto de Vitória uma solução pioneira no Brasil e na América Latina: o Sistema de Gerenciamento e Informação de Tráfego de Embarcações (VTMIS, na sigla em inglês), que tem como objetivo tornar mais segura a espera de navios e aumentar a eficiência da movimentação de embarcações no local.
Hoje, dois radares monitoram a entrada em mar aberto, a bacia do porto de Vitória, as áreas de fundeio e o acesso ao canal. As informações dos navios são reunidas em um único centro de processamento de dados e analisadas por equipes especializadas. “O VTMIS permite que informações de posicionamento geográfico e rastreabilidade das embarcações sejam obtidas, mesmo com condições meteoceanográficas adversas para a navegação. Por isso, permite ganho de eficiência e aumento da segurança”, afirma o coordenador de Gestão do Vessel Traffic System (VTS) do Porto de Vitória, Agostinho Sobral Sampaio.
Atualmente 70 portos são gerenciados, no mundo, com esta tecnologia. Entre outros, destaque-se a participação da Indra na ampliação do Canal do Panamá, a modernização da plataforma tecnológica global do porto de Valparaíso (Chile) e a implantação do VTMIS no porto de Southampton (Reino Unido).

SANTOS – O governo paulista entregou, sábado último, a primeira fase do projeto da "Nova Entrada de Santos", contemplando o viaduto na altura do km 65 da via Anchieta e uma passarela de pedestres no km 62.
Com investimentos de R$ 270 milhões, a entrada de Santos está sendo totalmente remodelada entre o km 59 e km 65 da rodovia Anchieta, para que o tráfego de entrada e saída da cidade ocorra apenas pelas pistas centrais, enquanto fluxo do porto se dê pelas pistas laterais.

Divulgação          Toyota Yaris: Maior Valor de Revenda-Autos 2019

REVENDA – O Toyota Yaris é o campeão do Selo Maior Valor de Revenda-Autos 2019. O anúncio foi feito na última sexta-feira, em tradicional churrascaria de São Paulo, pelo diretor da agência Autoinforme, Joel Leite, e seu parceiro Koichiro Matsuo, da Textofinal Comunicação. Na oportunidade estiveram reunidos os jornalistas especializados do mercado automotivo. Veículos & Negócios marcou presença, uma vez mais.
Na análise de mercado, o modelo Yaris obteve apenas 7,1% de desvalorização em um ano. A pesquisa abrangeu 17 categorias, no período de agosto de 2018 a agosto de 2019. A premiação geral da 6ª edição do SMVR-A ficou assim: Categoria Entrada, VW Up (8,1% de desvalorização em um ano); Hatch Médio, VW Golf (12,1%); Hatch Premium, Mini Cooper (11,2%); Híbrido Elétrico, Toyota Prius (11,2%); Minivan Monovolume, Spin (11,8%); Perua, Space Fox (16%); Picape Pequena, Saveiro (9,6%); Picape Compacta, Fiat Toro (12,2%); Picape Média, Toyota Hilux (9,1%), campeã pelo 6° ano consecutivo; Sedã de Entrada, Prisma (7,7%); Sedã Compacto, Honda City (8,6%); Sedã Médio, Corolla (9%); SUV Entrada, Creta (9,6%); SUV Compacto, Jeep Compass (9,1%); SUV Médio, TIguan (9,4%); SUV Grande, Toyota SW4 (9%); Hatch Compacto, também vencedor como Campeão Geral, está o Toyota Yaris (7,%).

Divulgação                                       Protótipo consumiu um ano de trabalho

ALUNOS – Alunos de graduação da Universidade Federal de Itajubá/MG, se uniram para fazer um carro elétrico. A empreitada levou um ano para ser concluída e o resultado foi apresentado em primeira mão na Fórmula SAE, ocorrida na semana passada em São Paulo. A competição estudantil é organizada pela Society of Automotive Engineers com o objetivo de propiciar aos estudantes de engenharia a oportunidade de aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, desenvolvendo um projeto completo e construindo um carro tipo Fórmula 1.
A equipe Cheetah E-Racing, formada pelos estudantes, desenvolveu o protótipo de um carro elétrico em local cedido pela universidade e usou alumínio em diversas aplicações por ser um material mais leve e resistente à corrosão.

Divulgação                                                  Projeto reuniu 60 alunos

“A parceria com a Hydro vai garantir que os componentes estruturais do carro sejam otimizados. As ligas de alumínio serão usadas em peças de extrema importância, como cubo, caixa de direção e mancais de transmissão. Tudo isso possibilitará uma redução do peso do nosso carro e como consequência, o aumento da sua eficiência”, comenta Douglas Shinkawa, membro da equipe Cheetah E-Racing. Durante os três dias da Fórmula SAE, os carros passam por provas estáticas e dinâmicas e por avaliações das performances de cada projeto na pista.



VENDAS – Com as 32 unidades emplacadas na última quarta-feira, 27, a Volvo ultrapassou o número de emplacamentos de todo o ano passado no mercado nacional (6.836 unidades). Os modelos XC60 e XC90 lideram suas respectivas categorias e colocaram a marca à frente também na venda de veículos híbridos plug-in.

LOGÍSTICA – A Associação Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas-NTC&Logística elegeu na quinta passada, 28, Francisco Pelucio como novo presidente. O ex-diretor financeiro comandará a entidade no próximo triênio, sucedendo a José Hélio Fernandes. Pelucio foi o candidato único indicado à presidência pelo Conselho Superior da Associação e o início de sua gestão será em 1° de janeiro de 2020.

Divulgação         Discovery Sport: modelo da Land Rover integra o Onçafari

ONÇA – Na mesma data em que é comemorado o Dia da Onça-Pintada, espécie eleita como símbolo brasileiro da conservação, a Land Rover anuncia parceria com a associação Onçafari, que trabalha pela preservação da biodiversidade em diversos biomas brasileiros, com ênfase em onças-pintadas e lobos-guarás. O apoio consiste na disponibilização de veículos da marca para auxiliar na logística do projeto. Para marcar o início da parceria, a partir de hoje o Land Rover Discovery Sport, mais versátil modelo da marca britânica de SUVs de luxo, auxiliará as atividades do Onçafari no Pantanal. “Buscamos por instituições que trabalham com projetos inovadores para a preservação do meio ambiente e de diferentes ecossistemas. Encontramos isso no Onçafari, que promove conexões com o Pantanal e com a onça-pintada por meio do ecoturismo, de pesquisa s e da conservação da espécie”, ressaltou Paulo Manzano, gerente de marca da Jaguar Land Rover.
O Discovery Sport, primeiro modelo da Land Rover a integrar o Onçafari, foi escolhido por ser fabricado no Brasil e ter a melhor a capacidade off-road, necessária para enfrentar os terrenos pantaneiros mais difíceis com o uso do sistema Terrain Response. O projeto Onçafari começou em 2011, com o fundador Mário Herberfeld, iniciando trabalhos de observação das onças-pintadas com o objetivo de proteger e conservar a espécie, que já esteve próxima da extinção em algumas regiões.
Durante esses oito anos de trabalho, a equipe do Onçafari realizou resgates, reintrodução à natureza e preservação de habitat com onças-pintadas na Amazônia, no Pantanal, no Cerrado e na Mata Atlântica. Até 2019, registraram-se mais de 3.300 avistamentos de onças, sendo que 98% dos visitantes encontraram onças.

SOCIAL – A inciativa e dedicação para promover e apoiar organizações sem fins lucrativos que desenvolvam tecnologias sociais e educacionais inovadoras rendeu comemorações na quinta-feira última, dia 28, na capital paulista. As três organizações vencedoras da 1ª edição do Prêmio Fundação Volkswagen foram avaliadas a partir do potencial de transformação social do negócio e receberam, cada uma, um prêmio no valor de R$ 100 mil. Além disso, ao longo de 2020, terão assessoria pós-investimento, a fim de garantir a efetividade do uso do recurso financeiro.
“O Prêmio Fundação Volkswagen nasceu de um desejo da instituição de aproximar o terceiro setor das inovações e estratégias dos negócios de impacto social, que já são uma realidade em todo o mundo. Para isso, mais do que uma premiação, o percurso construído ao longo dos últimos meses foi fundamental para garantir a perenidade e a sustentabilidade das soluções finalistas. Estamos certos de que todos saímos mais fortalecidos e inspirados desse processo, prontos para transformar positivamente a realidade em que vivemos”, celebrou Vitor Hugo Neia, Diretor de Administração e Relações Institucionais da Fundação VW.
Confira as organizações e projetos contemplados: Mobilidade Urbana - Projeto “Viver de Bike” – Instituto Aromeiazero, de São Paulo/SP. É um projeto estruturado a partir de um curso de mecânica básica de bicicletas e empreendedorismo. Cada aluno reforma uma bicicleta durante as aulas e fica com ela ao final. O excedente é vendido ou alugado para passeios, ações em escolas e outras formas de geração de renda; Mobilidade Social - Projeto “As Marias” – ONG Acreditar, de Glória de Goitá/PE. Trata-se de projeto focado em mulheres de baixa renda com atuação em diversos segmentos, como comércio, serviço, indústria e agricultura familiar, por meio da educação empreendedora, microcrédito orientado e desenvolvimento local; e, por fim, na categoria Inclusão de Pessoas com Deficiência, o vencedor foi o Projeto “Imersão Maker” – Instituto MeViro, de Brasília/DF. É um projeto de aprendizagem experiencial em que jovens com deficiência desenvolverão habilidades no uso de tecnologias de fabricação digital para a criação de projetos assistivos.

Divulgação    João Guilherme: etanol reduz a emissão de dióxido de carbono

ARTIGO
Quatro décadas de sustentabilidade do etanol
Por João Guilherme Sabino Ometto (*)

Apesar das recentes polêmicas sobre a Amazônia e algumas posições de nosso governo quanto a temas ambientais, o Brasil terá muito o que mostrar na Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas (COP 25), de hoje a 13 de dezembro, em Madri. Coincidentemente, os biocombustíveis, protagonistas de algumas de nossas principais conquistas na luta contra o aquecimento da Terra, são objeto de duas comemorações importantes: a criação do Programa Nacional do Álcool (Proálcool), em 14 de novembro de 1975, há 44 anos; e o 40º aniversário (19 de setembro) da assinatura do protocolo que viabilizou a produção dos carros movidos a etanol, firmado entre a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e o Ministério da Indústria e Comércio.
O Proálcool, criado para que nosso país fizesse frente à crise internacional do petróleo nos anos de 1970, tornou-se um dos principais responsáveis por nossa capacidade de atender aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável na área ambiental. O esforço conjunto do setor sucroalcooleiro, organismos governamentais, instituições de pesquisa e indústria automotiva permitiu que o Brasil produzisse em escala um combustível mais limpo e renovável, aliado à tecnologia dos carros flex, apresentando uma solução concreta no combate às mudanças climáticas.
Nesse sentido, é gratificante lembrar o esforço que fizemos, envolvendo muitas pessoas com visão de futuro, para viabilizar uma tecnologia revolucionária nos setores industrial e energético: nos anos de 1970, quando presidi a Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros do Brasil (STAB), formamos uma comissão, junto com outros dirigentes setoriais, para visitar centros de pesquisa empenhados no desenvolvimento do carro a álcool. Não havia no País capacitação para a produção de motores, fabricados no exterior, sendo apenas montados aqui. Por isso, foi necessário gerar know-how próprio.
Estavam engajados nesse processo, o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, já avançadíssimo à época, e a Escola da USP, campus de São Carlos, onde eu havia me formado. Nas fábricas da Volkswagen, GM e Willys-Ford, um contingente de engenheiros, com equipamentos de última geração, estava igualmente mobilizado.
Nasciam, assim, os veículos a álcool brasileiros. A criatividade nacional também era demonstrada nas adaptações feitas pelos mecânicos, nas retíficas. Os caminhões das usinas do Nordeste e São Paulo tinham os motores convertidos. Aliás, essa capacidade de nossa gente de encontrar soluções já havia sido demonstrada na Segunda Guerra, quando faltou combustível. Lembro que meu pai tinha um carro a gasogênio, mas que subia a Serra do Mar utilizando álcool. O Proálcool foi um decisivo passo para o desenvolvimento da engenharia de motores no Brasil.
É graças a todo esse esforço que, na COP 25, poderemos demonstrar o quanto estamos avançados em algumas metas para 2030 do Acordo de Paris: do aumento previsto de 18% da participação de biocombustíveis (Renovabio), realizamos 17,4% e já superamos em 0,3 ponto percentual o compromisso de 45% dos renováveis na matriz energética nacional, que se tornou a mais limpa e diversificada do mundo.
Estudos do Brasil e do Exterior não deixam dúvidas de que o etanol reduz a emissão de dióxido de carbono em relação à gasolina. Quando produzido a partir da cana-de-açúcar, como no País, o resultado é ainda maior, pois os canaviais sequestram carbono na atmosfera em volume mais elevado do que o emitido na queima do combustível. A utilização do álcool nos veículos apresenta outra vantagem a ser lembrada: sua adição à gasolina, considerando sua capacidade de aumentar a octanagem, permitiu extinguir, nos anos 90, o poluente chumbo tetraetila como aditivo do combustível brasileiro.
Ao lembrarmos toda essa trajetória, devemos comemorar o fato de o Brasil ter quebrado o recorde de produção, consumo e venda de etanol na safra 2018/2019. Tal resultado mostra que nossa matriz energética pode ser cada vez mais limpa e renovável, alimentada por um combustível sustentável e cuja produção gera emprego, renda e investimentos, contribuindo, ainda, para que o Brasil cumpra seus compromissos com o Planeta.
(*) Engenheiro João Guilherme Sabino Ometto é vice-presidente do Conselho de Administração da Usina São Martinho e membro da Academia Nacional de Agricultura (ANA).

Nelson Tucci é editor de Veículos & Negócios, do Jornal PERSPECTIVA.
Leia também no site www.jornalperspectiva.com.br

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Santos dá pedal


Susan Hortas/Secom-PMS                 Chegada dos ciclistas será no bairro do Valongo

Nelson Tucci

Domingo, 1°de dezembro, Santos receberá 50 mil ciclistas, vindos da capital e de várias regiões do país, na chegada do passeio “Pedal Anchieta Santos”. O evento inicia às 8h30, na rodovia Anchieta, organizado pela ONG Ciclo Br, em www.ciclobr.org.br, com apoio do governo do Estado. O Pedal Anchieta começa no quilômetro 12,6 da Anchieta e o ponto de chegada será na Rua São Bento, no Valongo, Centro Histórico de Santos. No local haverá banheiros químicos (inclusive adaptados), instalados pela Prefeitura, e distribuição de água pela Sabesp. Orientações aos participantes serão prestadas por meio de um serviço de som.

Susan Hortas/Secom-PMS        Diversas faixas e agentes de trânsito vão orientar o trajeto

Ao chegarem à entrada da cidade, os ciclistas serão acompanhados por agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) e direcionados por operadores da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O acesso à praia contará com uma rota oficial, monitorada pela CET, do Valongo ao Parque Mário Roberto Santini, no José Menino – onde banheiros químicos (dois adaptados) estarão à disposição do público.
Para orientar e garantir a segurança dos ciclistas e das pessoas que circulam pelas vias de Santos, a CET disponibilizará 75 profissionais para o dia do evento. Já a GCM manterá uma equipe próxima ao local de chegada ao município e um contingente de 57 integrantes na orla da praia, com apoio de 13 viaturas e nove quadriciclos. Para eventuais ocorrências, a Secretaria Municipal de Saúde disponibilizará quatro ambulâncias, distribuídas entre os bairros São Manoel e Valongo, contando com dois enfermeiros, quatro técnicos de enfermagem e quatro condutores. Haverá ainda um posto avançado, com médico e enfermeiro, na entrada da cidade.
A Prefeitura apoia o Pedal Santos Anchieta por meio das secretarias de Meio Ambiente, Turismo, Cultura, Esportes, Saúde e Segurança, além de Ouvidoria, Transparência e Controle e CET. Participam também a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Sabesp, Polícia Militar e Polícia Rodoviária.

Divulgação         Modelo lançado em 2009 tem cinco versões na linha 2020

CITY – A Honda comemora 10 anos de produção do City no Brasil e, para celebrar esse marco, lança um vídeo especial que conta os quase 40 anos de história do modelo no mundo. O conteúdo apresenta os primeiros modelos lançados em 1981, ainda como hatchback, depois mostra a primeira geração como sedã, em 1996, relembra o lançamento do modelo no Brasil, em 2009, e segue contando sua história até os dias atuais.
Lançado no país em 2009, em sua terceira geração global como sedã, o City já teve mais de 240 mil unidades produzidas no Brasil desde seu lançamento. Em 2015, o modelo mudou de geração e, em 2018, o City recebeu uma profunda atualização no seu design e em equipamentos, tornando-se mais completo, refinado e confortável para o consumidor.
O City 2020 está disponível no mercado brasileiro em cinco versões: DX (manual), Personal, LX, EX e EXL (CVT). O modelo segue mantendo suas qualidades de espaço interno, sofisticação, conforto e eficiência energética. É oferecido com o motor 1.5 i-VTEC FlexOne, de até 116 cv.

SEGURANÇA – Não é novidade que trafegar pelas rodovias brasileiras é conviver com a insegurança, seja pelo número elevado de acidentes ou pelos roubos de cargas que causam prejuízos bilionários. Há estatísticas preocupantes: a cada dia, nada menos que 14 pessoas perdem as vidas nas rodovias federais brasileiras. Somado a esse prejuízo irreparável, estão os roubos a veículos de cargas que em 2018 chegaram a mais de 22 mil registros no país e também colocam em risco a vida de muitos motoristas.
Atento a esse cenário, o SEST Senat realiza nesta semana toda uma grande mobilização nacional para levar informações e orientações aos transportadores sobre os cuidados necessários para garantir mais segurança durante as viagens. Com o tema “Rode seguro nas estradas”, as equipes das unidades operacionais de todo o país estarão em mais de 250 pontos estratégicos com grande concentração de caminhoneiros, como empresas, terminais de cargas, postos de abastecimento e de fiscalização para realizar a Campanha Nacional de Redução de Acidentes e Roubo de Cargas.
“Trabalhar com segurança é fundamental para garantir qualidade no serviço oferecido. Infelizmente, no Brasil, os índices de acidentes são muito elevados e convivemos com o risco do roubo de cargas nas rodovias. Nosso objetivo é conscientizar e alertar o poder público sobre a necessidade de atuar para mudar esse cenário”, destaca Vander Costa, presidente da CNT e dos Conselhos Nacionais do SEST e do Senat.

REVENDA – Na próxima sexta, 29, haverá a entrega do Selo Maior Valor de Revenda, promovido pela Agência Autoinforme em parceria com a Textofinal de Comunicação. Evento será em São Paulo. Veículos & Negócios estará presente para apurar a melhor informação.

RENT A CAR – A locadora de automóveis Unidas amplia a frota de carros de aluguel com a inclusão do novo BMW X1. A empresa promete disponibilizar o novo modelo ainda nesta semana, na categoria SUV Premium e Blindado, ao mesmo tempo em que ele será apresentado pela montadora nas concessionárias brasileiras.
Atualmente, a Unidas conta com outros dois modelos na categoria SUV Premium: o Mercedes GLA 200 e o Audi Q3. Do grupo de blindados, fazem parte o Mercedes GLA e o Tiguan All Space. De acordo com Dirley Ricci, Head de Novos Projetos da Unidas, a procura por ambas as categorias cresceu exponencialmente nos últimos dois anos.

Divulgação      Peugeot - Boxer (Aro 15”) terá nova sapata modelo 1.9/2.5 1994

SAPATAS – A Cobreq, empresa do grupo Nisshinbo, apresenta ao mercado sapatas de freio para Hilux da Toyota e Boxer da Peugeot. Os lançamentos para eixo traseiro são 2691-CP e 2707-CPA.
A sapata de freio é primordial ao sistema de frenagem e trabalha em conjunto com as pastilhas de freio, sendo aplicada no sistema a tambor e tem múltiplas funções.
Além da atuação no freio principal, a sapata também tem a função secundária, mas não menos importante, de atuar como freio de estacionamento. Mas a importância da sapata vai além, pois ela também pode atuar como freio de emergência, quando há perda parcial ou total do freio dianteiro, já que a ação de estacionamento é mecânica, efetuada através de uma alavanca interna ao freio, que recebe a ação de cabos conectados com a alavanca de acionamento no interior do veículo.   

PEQUENOS – O Sebrae e o Banco do Brasil assinam, nesta segunda-feira, 25, um acordo de cooperação técnica com a finalidade de aumentar o acesso dos pequenos negócios a serviços financeiros e soluções bancárias. Ambos promoverão a educação financeira e realizarão intercâmbio de soluções educacionais para colaboradores do Sebrae e do BB. O acordo será assinado pelo presidente do Sebrae, Carlos Melles, e pelo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes.

APERTO – A propalada recuperação da economia é (muito) lenta. De acordo com dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), as empresas inadimplentes no país encerraram o último mês de outubro com uma dívida média de R$ 5.561,98.
De modo geral, mais da metade (56%) das empresas que estão negativadas no Brasil possuem pendências que, somadas, superam a cifra de R$ 1.000. Cada empresa inadimplente tem, em média, dois compromissos não quitados.
Ainda de acordo com este levantamento, houve um aumento de 5,55% na quantidade de empresas com contas atrasadas no país em outubro, o que representa a maior alta desde janeiro deste ano, quando o crescimento observado havia sido de 5,91%. Por outro lado, o número de outubro deste ano é inferior ao do mesmo mês do ano passado, quando a alta registrada foi de 7,26% no crescimento de empresas negativadas por falta de pagamento. A inadimplência cresce mais na região Sul.

PROCURADORES – A Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo (Apesp) realizou eleições na última quinta-feira, 21, na capital paulista, com quórum de 900 associados votantes, e a chapa “Apesp para Tod@s” foi eleita com 520 votos (57,78%).
A eleição é para o biênio 2020/2021 e definiu os quadros para a nova Diretoria, Conselho Fiscal e Conselho Assessor. O atual diretor financeiro da entidade, Fabrízio de Lima Pieroni, será o próximo presidente da entidade.

Nelson Tucci é editor de Veículos & Negócios, do Jornal PERSPECTIVA.

Leia também no site www.jornalperspectiva.com.br

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Apreensão com a Suzuki em Santos


Divulgação             Marca deixou na mão os usuários de suas linhas

Nelson Tucci

O fechamento de lojas/concessionárias de determinada marca automotiva não é propriamente incomum. Nesses casos, a matriz providencia informações aos usuários. Pelo menos é o que deveria ter acontecido com a Suzuki do Brasil, que deixou na mão os usuários de suas linhas em Santos.
O alerta foi dado por um assíduo leitor do jornal Perspectiva, professor Cláudio Magalhães, que nos enviou o seguinte e-mail: “É lamentável que a única concessionária da marca de veículos Suzuki, que tinha um excelente atendimento, a ‘Sumar Veículos Suzuki’ encerrou suas atividades. Agora temos que nos deslocar até a capital para fazer durante três anos as revisões obrigatórias de fábrica nos obrigando a termos gastos extras de combustível, pedágio, além de perda de dia de trabalho. Esperamos que a Suzuki providencie com urgência sua nova concessionária em Santos que atende toda a Baixada Santista e Litoral Paulista”.
Acionamos a assessoria da Suzuki, que ignorou a carta na primeira tentativa. Diante de nossa insistência – advertindo-os que “com ou sem resposta” do fabricante a reclamação do leitor seria registrada –, enviaram-nos a seguinte resposta: “Estamos em análise para credenciamento de um novo concessionário para que o mais breve possível consigamos atender a todos os clientes da marca”.
Agradecemos o professor Cláudio pela iniciativa em nos procurar e se tivermos alguma outra posição da marca japonesa prontamente a publicaremos.

ELÉTRICOS – O Grupo Moura passa a integrar o e-Consórcio, projeto liderado pela Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) que impulsionará a produção de caminhões elétricos no Brasil. A Moura será responsável pela importação das baterias de lítio produzidas pela chinesa Contemporary Amperex Technology Co. Ltd. (CATL), manutenção e pós-venda dos produtos, incluindo a sua futura reciclagem e reaproveitamento de seus componentes. Isso significa estar presente em todo gerenciamento do ciclo de vida da bateria.
Moura faz parte oficialmente de um grupo pioneiro em eletrificação veicular no Brasil. A estruturação do e-Consórcio, cujo anúncio foi feito no último Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas – Fenatran 2019, prevê a fabricação em série de caminhões já em 2020. Pouco mais de um ano após a Cervejaria Ambev anunciar a intenção de contar com mais de 1/3 da frota parceira composta por pelo menos 1.600 caminhões VWCO elétricos até 2023, maior anúncio do tipo no mundo.

SUV – A Ford anunciou, na semana que passou, o nome do seu novo SUV elétrico que vai ostentar o emblema do cavalinho: Mustang Mach-E. O modelo apareceu pela primeira vez no domingo 17 em um evento em Los Angeles, EUA.
Clientes dos Estados Unidos e da Europa poderão começar a fazer a reserva de compra do Mustang Mach-E no site da Ford, com um depósito de US$ 500. Enquanto isto, no Brasil a Ford fechou recentemente a fábrica de São Bernardo do Campo/SP – unidade que montava o Fiesta e as linhas de caminhões –, colocando 3.000 empregados na rua e não diz quando o novo modelo chegará por aqui.

LÍTIO – A Heliar, marca tradicional de baterias para motocicletas, irá lançar no Brasil a Heliar Lítio, bateria de íons de lítio para veículos de duas rodas. A Heliar Lítio é até 10 vezes mais durável do que a convencional de chumbo ácido, tem dois anos de garantia e é cerca de 70% mais leve. A marca fará o anúncio desse lançamento no Salão Duas Rodas, que acontecerá em São Paulo entre amanhã e domingo.

Divulgação   Modelo introduz o diferencial traseiro blocante com acionamento elétrico

LANÇAMENTO – A Troller anuncia o lançamento do TX4, novo modelo da sua linha equipado com transmissão automática e estilo exclusivo, que chega ao mercado no próximo mês de dezembro. A informação foi dada durante o “Troller Brasil Festival”, maior evento já realizado pela marca, que reuniu mais de 500 participantes no último final de semana em Campinas/SP, onde o veículo também foi apresentado em primeira mão.
No pacote de acessórios, o TX4 inclui itens como para-choques dianteiros de aço e faróis auxiliares de LED. O interior também conta com acabamento personalizado e novos itens de conforto.

Divulgação                              T-Cross Sense já chegou às concessionárias

PCD – A Volkswagen apresenta a versão Sense do T-Cross, o primeiro utilitário-esportivo produzido pela marca no Brasil, destinada ao público de Pessoas com Deficiência (PcD). Completo de série, o modelo já está disponível na rede de concessionárias da marca exclusivamente nas cores Preto Ninja, Branco Puro e Prata Sargas e tem preço sugerido de R$ 69.990 – com as isenções o valor para o público fica em R$ 57.630.

ROTA 2030 – Os “Desafios da aplicação do programa Rota 2030 na Indústria automotiva” é o tema da apresentação de Etiene Pereira de Andrade, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que abrirá a programação do 10º Simpósio SAE Brasil de Materiais na próxima quinta-feira 21, em Belo Horizonte/MG.
Organizado pela Seção Minas Gerais da SAE Brasil de tendências em materiais e sua aplicação em soluções de engenharia para o atendimento às demandas de segurança veicular e aos requisitos de projeto no âmbito do programa Rota 2030.

VERDE – Programas internacionais de frete verde, emissões de veículos pesados, eficiência energética, capacitação de motoristas, sistemas de propulsão eficiente e ações sustentáveis aplicadas na última milha. Esses são alguns temas que serão apresentados e debatidos durante o Workshop Internacional sobre Iniciativas de Frete Verde, que começa nesta segunda-feira 18, na sede da Confederação Nacional do Transporte, em Brasília. O evento, que segue até a quarta-feira 20 é promovido pela CNT e pelo SEST Senat.

TAIWAN – Taiwan anuncia sua pretensão de intensificar relações comerciais com o setor de autopeças no Brasil. A vigorosa indústria de autopeças do país asiático e as facilidades em fazer negócio são tema de seminário marcado para o dia 28 próximo, em São Paulo.
A fabricação de autopeças é um dos setores mais produtivos de Taiwan. São 2.505 fábricas de autopeças locais, com predominância da região Norte, onde há 1.018 fabricantes (41%), seguido das regiões Central (764 fábricas ou 31%) e Sul (723 ou 28%). O setor emprega em torno de 90.000 pessoas e faturou U$6,70 bilhões no ano passado.
Por ter um mercado interno pequeno, 85% das autopeças ali produzidas são exportadas. Embora seja um parceiro potencialmente importante, o Brasil ainda não figura na lista dos mais expressivos importadores de autopeças de Taiwan. Para mudar essa realidade, e intensificar as relações comerciais no setor, a Taitra irá promover o Seminário Autopeças Taiwan, dia 28, no L’Hotel Porto Bay, em São Paulo. O Seminário é gratuito e as inscrições podem ser feitas pelo link: http://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdZ3L00D0lpiP4GOAt_pn3PK5emDgRi9D0QtDh8GwNzegURSQ/viewform

ALCÂNTARA – O Senado Federal aprovou, dia 12 último, o Projeto de Decreto Legislativo (PDL 523/2019) que trata do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST). A matéria permite aos Estados Unidos alugarem o Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão, para fazer lançamentos de foguetes e satélites. O texto havia sido aprovado pela manhã na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).
Relator da proposta, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) comemorou a aprovação e acredita que a decisão dos parlamentares vai garantir melhorias na vida da população, sobretudo das pessoas que vivem no estado maranhense: “Vai gerar um impacto econômico extraordinário em Alcântara, na baixada maranhense, assim como em todo o estado. Esse impacto vai ser no Brasil e mundo afora. Estamos falando de investimento bilionário da indústria aeroespacial, da Nasa, no Maranhão”.
O senador Weverton (PDT-MA) defende que a aprovação é uma vitória para a indústria aeroespacial brasileira: “Estamos abrindo caminho para comercializar produtos norte-americanos e de outros países. Não há exclusividade, há a possibilidade, a partir de agora, de produtos que têm componentes deles (EUA), que é 80% do mercado do mundo, podendo ser operacionalizados na nossa base”.

Divulgação   Modelo anuncia quilometragem 10% superior, comparado ao FS557

PNEU – A Firestone, marca pertencente à Bridgestone, anuncia a extensão da sua linha FS558 para a medida 235/75R17.5. O produto, pneu radial indicado para micro-ônibus e caminhões leves, apresenta melhor performance quilométrica, capacidade de tração e excelente dirigibilidade, além de desgaste uniforme e melhor frenagem em piso molhado.
“Essa extensão fortalece a competitividade da marca Firestone neste segmento, oferecendo aos nossos clientes soluções completas”, comenta Oduvaldo Viana, diretor de Marketing da Bridgestone: “A tecnologia aplicada no FS558 mantém o nosso alto padrão de qualidade, além de proporcionar a melhor relação custo x benefício”.

VENDAS – A indústria nacional de pneumáticos fechou o mês de outubro com alta de 10,6%, em comparação ao mesmo período de 2018. O aumento de 12% nas vendas para montadoras e de 10% para o mercado de reposição levou à comercialização de 5.364.890 unidades, aponta a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos.
O crescimento da produção de veículos no mês teve relação direta com o resultado positivo, já que elevou as vendas de todas as categorias: pneus de passeio (16%), pneus de carga (8,7%), comerciais leves (6,8%) e de moto (0,8%). O avanço nas vendas totais registrado em outubro resultou em uma leve alta de 0,6% no acumulado do ano.

Adriano Chaves-DC Multimídia              Encomenda de 120 unidades para o Rio de Janeiro

ÔNIBUS – O Grupo Redentor, um dos principais operadores de transporte urbano do Rio de Janeiro, adquiriu 120 novos ônibus Neobus New Mega. Os veículos são os primeiros da marca a operarem no novo Sistema de Mobilidade de Transporte do Rio de Janeiro (SMTR) e estão sendo incorporados às frotas das empresas Viação Redentor, Transporte Barra e Transporte Futuro.
"Esta é a maior venda da Neobus neste ano e uma das mais expressivas da empresa no segmento de urbanos", destaca Douglas Cristiano Pessoa, supervisor de vendas: "O Grupo Redentor possui frota com mais 1.300 veículos, 90% da marca Neobus, o que comprova as vantagens e diferenciais competitivos do modelo, como eficiência, robustez e menor custo de manutenção e operação".

ARTIGO
Carros autônomos serão aliados na administração das cidades

Por Dalton Oliveira (*)

A tecnologia aplicada aos carros e a mobilidade tem se tornado cada vez mais iminente. Ao mesclar com tecnologias emergentes como a internet das coisas (IoT), a inteligência artificial (IA), o machine learning (ML) e o deep learning (DL), os benefícios gerados vão muito além daqueles relacionados à experiência do usuário, como a redução de acidentes e a possibilidade de prever a hora certa para a revisão ou manutenção dos carros.
Elas também permitem a coleta de informações que podem trazer insights sobre novos modelos de negócios (mesmo para as marcas existentes), oportunidades para empreendedores desenvolverem produtos e serviços e até prover informações para os governos com dados gerados para tomar decisões mais eficazes e com maior agilidade. Isso traz mais eficiência nas operações e economia aos cofres públicos. Em outras palavras, este é um novo estilo de vida para os usuários e para novos negócios que vão surgindo tão rápido quanto podemos imaginar.
Ao criar um ecossistema complexo para lidar com grandes volumes de dados totalmente conectados em tempo real, os carros autônomos podem coletar, processar, enviar e receber dados para a tomada de decisões. Ao circularem nas ruas, por exemplo, eles podem prover informações, com dados relevantes, às prefeituras e quem mais estiver interessado em trabalhar em conjunto para construir uma comunidade melhor.
Quando os carros autônomos identificarem buracos, por exemplo, eles poderão não só ajustar suas velocidades para causar menor dano ao veículo, mas também notificar a prefeitura sobre a localização e o tipo dos buracos para que providências sejam tomadas. Já quando identificam lombadas, poderão notificar a prefeitura para analisar e cruzar essas informações com outras igualmente relevantes, como áreas com alta incidência de acidentes versus o número de lombadas existentes, e fazer outras análises a partir daí.
Considerando a área de uma cidade dividida em 2 quadrantes com características muito semelhantes, ao notar que o usuário de um carro conectado (CC1) em um quadrante (Q1) vai para manutenção com maior frequência do que o de outro usuário do mesmo modelo de carro conectado (CC2) em outro quadrante (Q2), é possível cruzar estes dados para chegar a algumas conclusões. Com estas informações, por exemplo, sabemos que a velocidade média em Q1 é maior que em Q2; o tempo médio entre o ponto de origem e o ponto de destino também são diferentes, bem como o consumo médio de combustível e as mudanças de marchas.
Com base nos poucos dados mostrados, parece que as ruas dos quadrantes Q1 e Q2 não são tão semelhantes como deveriam ser. Algumas das medidas que poderiam ser tomadas para mitigar os pontos levantados no parágrafo anterior e auxiliar na construção de uma cidade inteligente por meio das informações enviadas pelos carros autônomos poderiam ser, por exemplo, a criação de mais postos de combustível em Q1 ou a criação de um tipo de lombada capaz de transferir a energia do impacto mecânico dos pneus dos carros para engrenagens conectadas e, assim, gerar energia elétrica.
As possibilidades de melhorias e novos insights trazidos pela geração de dados dos carros autônomos podem ser inúmeras. O advento do termo “cidade inteligente” não deve se restringir a tecnologia apenas, mas sim na capacidade de transformar dados em soluções e melhor experiência para os cidadãos, pois quando falarmos de dados, big data, nuvem, banco de dados e coisas relacionadas, o importante é ter em mente que dados e números, por si mesmos, não nos contam histórias, mas nos trazem os insumos necessários para a elaboração de uma análise qualitativa, que vai construir histórias com base em um contexto conhecido. A tecnologia não é fim, a tecnologia é meio.
(*) Dalton Oliveira é membro do comitê de cidades inteligentes da Associação Brasileira de Internet das Coisas (Abinc) e Consultor Global em Transformação Digital para a Wardston Consulting.

Nelson Tucci é editor de Veículos & Negócios, do Jornal PERSPECTIVA.
Leia também no site www.jornalperspectiva.com.br